Época Desportiva 2020-2021

A Direção da FPTA vem por este meio dar conhecimento do Comunicado 06/2020, com informações acerca da Época Desportiva 2020/2021, assim como o Cancelamento do Campeonato Nacional de Campo de 2019-2020.

Cancelamento do Campeonato Nacional de Campo de 2019-2020

Face à situação atual da pandemia provocada pelo COVID-19 a atividade competitiva da época desportiva 2019-2020 foi extremamente prejudicada não se tendo realizado nenhuma prova do Campeonato Nacional de Campo. Face ao evoluir da situação decidiu a FPTA cancelar definitivamente o mesmo.

A decisão da Direção da FPTA foi muito ponderada, teve em conta o inquérito enviado aos Clubes, ao evoluir das diretivas da DGS e ao grau de risco e responsabilidade que seria pedida a todos os intervenientes.

Não havendo condições para realizar um Campeonato em tempo útil, numa modalidade amadora, em que não é possível garantir as condições de segurança médica de outros desportos profissionais e face às restrições ainda em vigor, para segurança de todos, considerámos que a decisão mais acertada e responsável, embora difícil, seria o seu cancelamento definitivo. Tivemos sempre esperança que a situação normalizasse mas tal não se verificou.

Época Desportiva 2020-2021

O Tiro com Arco em Portugal não é uma realidade isolada no contexto nacional e internacional. Todas as Nações do Mundo foram afetadas de uma forma gravíssima, sem precedentes, na História recente. Vivemos uma realidade com que nunca tínhamos sido confrontados nas nossas vidas quer a nível profissional como a nível pessoal.

As normas emanadas pela DGS para toda a sociedade e para a atividade competitiva em geral não permitiram realizar as provas necessárias em tempo útil. A nível global foram primeiramente suspensos, adiados e finalmente cancelados eventos nacionais e internacionais. Esperávamos que o milagre do controlo da pandemia pudesse acontecer, que o problema ficasse resolvido, ao menos controlado. Apesar das múltiplas prováveis vacinas e medicamentos que diariamente os media anunciam, de nada se tem a certeza.

As necessárias restrições sanitárias, restrições ao deslocamento, restrições à realização de eventos, encerramento de instalações desportivas municipais, estados de emergência, calamidade, mudaram completamente a nossa forma de vida, criando um ambiente de grande instabilidade.

O Mundo ficou doente e quase parou sem certezas. Analisando a situação com que todos fomos confrontados nos últimos meses que afetaram o conjunto do funcionamento do País e do Mundo de uma forma avassaladora, apenas podendo contar com a situação presente, não sendo possível a ninguém, nem a nenhuma instituição, prever com certezas o futuro a curto, médio ou longo prazo.

Verificamos contudo um esforço do Governo de Portugal e a nível internacional, na retoma dos diversos ramos de atividade, dentro de uma “nova realidade”, que permite o que foi completamente restringido ainda há poucas semanas. A “nova realidade” continuará a evoluir rapidamente, tendo consciência que não voltaremos brevemente à nossa rotina habitual de vida.

Contudo as orientações são para retomar a atividade, dentro de normas que irão semanalmente mudar. Trata-se de uma questão de sobrevivência. Esta “nova realidade” obriga a que toda a sociedade se reinvente de repente, com uma adaptação que modificará as antigas normas com uma cadência de adaptação constante. O paradigma da estabilidade continuará inexistente muito provavelmente durante os próximos dois anos.

É neste contexto que a FPTA informa os clubes e agentes desportivos sobre as regras a vigorar na época desportiva de 2020-2021, entre 1 de agosto de 2020 e 30 de setembro de 2021, as quais terão com toda a certeza alterações.

Em primeiro lugar necessitamos de fazer o levantamento dos Clubes que tenham condições para virem a organizar provas, assegurar que os mesmos têm a sua inscrição e dos seguros desportivos atualizados, de forma que a sua atividade a nível de Clube continue a ser autorizada e protegida.

Apelamos à colaboração dos Associados de, tendo em mente, o que foi dito, que encarem o presente comunicado como uma linha primária de orientação que no seu percurso terá certamente adaptações.

Documentos